sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Noite de meninas!

A prometida noite de meninas chegou !

Vera, Carlota, Ana, Martinha, Kalen, eu.


Vestidos. Lambrusco. Maquilhagem. Sparkling's. Dançar. Sopa. Guacamoletrice. Spice Girls. Tatuagens, piercings. Amigas lésbicas. Boa disposição. Risos. Gargalhadas. Companheirismo. Conversas. Conversas postas em dia. Pop Porno. Tanti Auguri. Take Five. Eu pago. Mal-entendidos americanos resolvidos. Vamos para o Millenium. Dançar. Dançar. Chileno, portugueses, alemães, o polaco australiano, espanhóis. O susto do James. O meu trono em cima do bar. As chaves emprestadas e o sofá que me acolhe sempre.

Das melhores noites. Nada nos preocupou, nada nos incomodou, nada correu mal.

A repetir.

Gosto de vocês, miúdas:)

video

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Só a Kalen me fazia sair de casa ontem à noite.

Cheguei do exame às 12h, vesti o pijama, dormi até às 16h, fiz bifinhos com natas e cogumelos e continuei a preguiçar até ela me aparecer:

- Para irmos ao jantar, temos de sair dentro de 15 minutos.

Ponderei não ir.

Depois pus a preguiça de lado, vesti-me, abri os olhos e enfrentei o desconhecido.

Fomos as duas jantar com um polaco de 24 anos, que viveu 1 ano em Itália quando era pequeno, depois foi para a Austrália até aos 20 anos, quando decidiu ir para o Japão. Agora cansou-se de trabalhar tipo robot, decidiu passear pelo mundo e vem para Roma aprender italiano.

A mentalidade é diferente, a abertura é enorme, a certeza que se pode fazer tudo é óbvia.

Deu-me alento. Deu-me vontade. E deu-me vontade de início de Erasmus em que todos os dias conhecia tanta gente, porque tinha energia para isso. Vou retomá-la. Há tantas pessoas interessantes neste mundo.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Estudar mata.

Em Erasmus não se estuda.

Em Erasmus é só festa e boa vida e boas notas.

Em Erasmus, em Itália, na Conchichina não se faz nada.

Pois olha: não é verdade !

Em Erasmus estuda-se mais que em toda a vida.
Em Erasmus em Itália desespera-se.
Em Erasmus em Bologna não se têm boas notas, não é fácil, não são mais simpáticos.

A sorte... a sorte é que não estar nisto sozinha.

Se temos a sombra do Pissarra a toda a hora (Habermas, spazio pubblico, massa, massa, massaaaaaaaaaaaa..), temos também uma bela companhia.

Não é, minha Martinha, minha M?

Clausura na tua cozinha, gente passa, a vida segue lá fora, os nossos lugares mantém-se dias e dias a fio. Tu na cadeira, eu no puff. O copo à frente também não desaparece nunca.

Miscela di tè. Aquece mais água. Guiness. Bailey's. Vinho dos outros. Amanhã compra-se.

Desespero. Desespero. É impossível, não há mais espaço na cabeça. Nem no estômago: a massa dá voltas e voltas, a indisposição, a indigestão, que insuportável.

Música, música alta. Ups, a luz foi abaixo. Ups. Ficámos sem colunas. Retocar unhas.

Vão todos sair, vão vão. Nós mantemos os nossos lugares e o nosso pânico quentinhos.

Amanhã é um novo dia :) Contigo, M! *


Tese da semana

O sexo forte é só e apenas o feminino.

Os homens nem devem ser considerados homens, nem sexo, forte ou fraco. Não servem para nada, não são nada. Homens? Quem os quer?

Par de estalos a ver se te calas. Só não te enfio um garfo no olho porque dá muito trabalho. Machismos hoje não, obrigada, não te quero ouvir. Só pedem, falam o que não devem, chateiam, chateiam.

Mexem com os nervos.


Por isso, vivam as mulheres, as meninas, as senhoras, as raparigas !

Viva a Ana e a Marta, para quem tenho olhado a toda a hora todos estes 3 dias de clausura em casa alheia. Com quem tenho rido, rido, rido, desesperado, bebido, partilhado Bailey's, ficámos no Guiness, gritámos, rebolámo-nos pelo chão e cantámos. Que bom!

Somos as melhores! E venham daí noites de meninas :)

P.S.: Não há entrelinhas para tentar entender.


domingo, 25 de janeiro de 2009

Ordem dos Cavaleiros da Torta da Nonna


Tudo gira em torno da Torta di Nonna.

Ou da Torta da Nonna. Ou da Torta d'anona.


O Duque declara-nos a nós, Baronesas Marta e Carlota, oficiais cavaleiros da Ordem.


E assim se cria um elo que permanecerá, até em dias em que a Torta da Nonna não seja suculenta, não tenha pedaços de amêndoa torrada no topo e o recheio não se desfaça na boca.

Permaneceremos !


bella serata

Ontem nevou! Só um bocadinho, mas nevou! Deu para alguns carros ficarem branquinhos por cima, mas rapidamente a chuva tomou lugar e a temperatura resignou-se aos graus positivos. Embora poucos, muito poucos, quase nenhuns.

E ontem foi também um belo dia caseiro. Dei almoço à Carlota, distraí-a enquanto tentávamos estudar, conversei muito com a Giada, nas supostas pausas de estudo para beber chá.

O Luís veio cá jantar com a feijoada prometida. Giada, Pier, eu, Luís e Carlota. O Chianti, o arroz feito por mim, a loiça que ficou por lavar, a panela por devolver. Conversa pela noite fora, os 5, depois os 4 (o Pier foi dormir), depois os 3 - os portugueses resistentes que saltaram os planos de estudar e os de sair à rua e ir a lugares duvidosos na companhia de gente sem juízo.

Resistimos até tarde, já se pensava em arranjar colchões já que a preguiça para voltar para casa aumentava a cada minuto que passava. Falou-se de casamentos, de planos, de vidas, de amigos. Falou-se de futuros, contaram-se histórias de conquilini e desvendou-se o conto de fadas do duque de Bologna.

Emprestaram-se bicicletas para regressos a casa mais rápidos.

Planearam-se idas em busca das tortas d'anona!

Foi uma bella serata :)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Dia de Tutu

A percepção de Bologna tem dias em que se altera. O céu muda, dá-nos uns relances de azul, um pôr-do-sol laranja e um peso nos olhos. O cansaço espreita, o descanso respeita, a contagem decrescente alheia está presente, há jantares e coisas para fazer. O frio constante já nem se sente, as obras do outro lado da rua já nem me acordam.

O dia-a-dia é diferente, as pessoas alteram a forma de se darem, há que retomar lugares e posições. As casas alheias enchem-se de habitantes desconhecidos. Avizinha-se um leque de novos conhecimentos, de novas línguas, de novos cruzamentos entre pessoas.

Não sei se é o estudo que me estafa. Não sei se será a pressão, se serão as mudanças, se serão os novos espaços partilhados ou os mesmos espaços por partilhar. Sei ser boazinha, não sei ser má, sei dar-me mais do que podem merecer.

Aprecio a minha consciência tranquila e questiono-me em relação ao mundo que me revolve. Valorizo o meu carinho, mas dou-o de mão beijada. Respeito o lugar, mas dou chaves sem pedidos. Há escalas definidas, spazio, escaladas pé ante pé. Pisadelas e botas de montanha.

Digo "o de baixo é meu" ou grito ou deixo estar?

Hoje andei de tutu, a saia que a Kalen me deu no Natal. Hoje andei sem mãos na bicicleta durante várias pedaladelas. Hoje vi um senhor com um girassol na mão e sorri. Hoje tenho preguiça, tenho sono e não estudei.

Se me perdi na Geografia, no spazio, nos luoghi, no tempo e no paesaggio, amanhã perder-me-ei com a massa. Serei mais uma no meio do mundo, serei a paisagem que não se vê, porque não existe, já que aqui somos todos insiders. Ansiarei pela visão do Marco Polo que não se importa com o tempo e que vivia sem padrões nem esperas. Serei eu, as folhas, os cadernos, as dúvidas, as presenças e o caos.



quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Perdidos na Geografia

Exame escrito dia 26, 2ª feira.

Tudo bem, estudar com calma, ler as coisas com calma.

Dia 20, 20h, recebo um telefonema: Ah e tal, vai haver um exame oral para Erasmus dia 22 às 9h, mas é segredo.

Segredo?!

Fui para casa da Marta com comida e escova de dentes. Juntou-se a nós o James. Estudámos dia 20 até às 4h da manhã e acordámos ontem cedo para continuar a estudar. Estudar em português, inglês e italiano ao mesmo tempo dá pequenos curto-circuitos mentais.

Chegou uma altura em que parecia que já não sabiamos nada de nada.

Marta, Marta, James... os 3 perdidos na Geografia da Comunicação.

Um almoço de pasta tardio, às 20h fui a casa tomar banho, buscar roupa e mais apontamentos. Voltei, a Marta voltou da dança, voltámos a estudar.

Às 2h e tal da manhã, o juízo perde-se e o Pedro junta-se a nós.

Transformar maçãs em objectos de diversão prolongada. Um copo de vinho para cada um. Martini bianco, sumo de pêra, canela e açúcar em pó.

Às 4h fomos dormir.

Às 8.30 acordámos e fomos para o exame.

Às 9h10 inscrevemo-nos. Às 9.30 dizem-nos que talvez só às 14h é que o possamos fazer.

Voltámos para casa. Dormimos até ao meio-dia. Estudar, comer mais um iogurte de stracciatella de meio quilo que teima em pingar da colher e cair em cima dos cadernos, deixar a confiança inexistente proporcionar muitos ataques de riso...

Chegámos ao exame. Esperámos 2 horas.

Saíam notas tipo 21, 22, 24.

Entrou o James, saiu com 25, passados mais de 15 minutos.

Entrou a Marta, saiu com 25, passados 10/12 minutos.

Entro eu, saio com 25, passados 5/7 minutos. (foi um pequeno lusco-fusco.)

Done!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

música caseira

Finalmente os músicos cá de casa decidiram juntar-se!

A Kalen e o Andrea cantam juntos e tocam guitarra e piano ! Che bello :)

Já não preciso dos Lame para me darem música, ahah ;)

















O alemão diz que é demasiado
cheesy. Eu acho que para além de cheesy, é cute e querido.

Deixem-me ser pirosa à vontade.

domingo, 18 de janeiro de 2009

O Ninja das Laureas

Ontem foi o dia do Nuno: acabou o curso!! :)

E os dias voltaram a ser completos e activos. Acordar cedo, estudar ou tentar, dormir a sesta, estudar bem, sair, ir ter com uns e com outros, saltitar de bar em bar, voltar para casa, dormir pouco para voltar a acordar cedo e estudar.

Fui ter com o nosso primeiro laureato português ao Irish Pub para celebrar. Estávamos os dois, o James (americano) e o Konrad (alemão). Fartei-me de rir com o non-sense, com as conclusões em relação à barbixa do senhor do lado, com o humor alemão, com as ideias demasiado falíveis do James para passar nos exames sem estudar, com a felicidade do Nuno, com as conversas sobre música, sobre carros, sobre tudo.

Fui jantar a casa deles. Era dia de celebrar! E os conquilini do Nuno fizeram-lhe acessórios de Ninja das Laureas personalizados...



A coroa ninja


O bastão ninja


A medalha do Ninja das Laureas



...que tinham de ser retribuídos com um discurso!

video

E a noite seguiu animada, com direito a muita música ao vivo caseira, como sempre.



Era hora de sair de casa, passar pelo Sesto Senso. Fazer trocas e entradas e saídas confusas para conseguir fazer entrar cerca de 10 pessoas só com 3 cartões. Reencontrámos espanhóis, mais alemães e portugueses. Bologna é pequeno, há sempre alguém em algum canto.



O Sesto Senso deixou-nos sem música e a conversa transferiu-se para o Arteria, com música engraçada, mas o estado de espírito errado. Voltámos todos para casa com orgulho no nosso Nuno:)

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Noite sã

Livros, candeeiros, cadeiras baixas e mesas altas, só mais um capítulo e podemos pôr a mesa, feijoada, amigas de amigos. Queijo e pão. E copos e copos de vinho tinto. Bem bebível. Boa disposição a chegar. A Verinha sempre ao lado nos ataques de riso. A Martinha e a sua sopa. A Ana a aparecer com boas notícias e com espanholas e um italiano. Rir muito. O Luís e as suas parvoíces. Inconvenientes, mas tão divertido. Deu-me umas chaves de casa. E arranjou-me um bom sítio onde dormir. Noite de Millenium. Mas antes, de colo, de abraços, de conversas, de desabafos. E durante, também. Há verdadeiros amigos! Concerto ao vivo! Agora já chega, toca a levantar, a Verinha paga, vamos dançar. Dançar muito, encontrar muita gente. Espanholas na casa-de-banho, americanos na pista de dança, italianos a um canto, mais gente, mais gente, portugueses também. O chapéu do Nuno a saltar de cabeça em cabeça. Já estou farta, vou apanhar ar. Já estou farta, vou embora. Carlota, vens dormir comigo? Sala cheia, quarto do Luís, quarto do Nuno. Boa noite, até amanhã.

(tenho de reaprender a andar sempre com a máquina fotográfica !)

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009


O karma existe?


terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Estou contente !

Estou contente !

Já voltámos todos, já está cá o meu grupinho todo :)

Sinto-me muito bem na minha casa e tem-me apetecido ficar no meu espaço também :)

Tenho conseguido estudar bem :)

Ci siamo tutti, yeah!*

No dia que cheguei tive logo um jantarinho bem giro. Éramos 5, 3 portugueses (eu, Verinha e Nuno) e 2 americanos (Kalen e James). Em termos culinários, correu tudo um bocado mal: a sopa ficou demasiado aguada, o frango fricassé parecia quase frango com ovos (mas estava muito bom!), o vinho era tão mau que só misturando 2 tipos no mesmo copo é que era bebível. Foi um jantar calmo, divertido, deu para chegar cedo a casa. Um belo jantar de regresso a Erasmus.


Entretanto andamos todas com as manias das dietas, uma vez que as balanças portuguesas assustaram todas as meninas, e andamos todas empenhadas a seguir umas regras que não custam muito, mas que nos divertem e fartamo-nos de comer sopa e fazer lanchinhos com iogurtes e tostas.

O frio existe nestas terras, média de 1ºC ou 2ºC, o que na verdade não é muito e aguenta-se bem. A minha bici já mereceu um passeio e agora que tem o banco para cima é uma maravilha, porque não me canso nunca.

Enfim, tudo na mesma, tudo bem :)


O mimo que o Nuno e a Kalen me enviaram quando eu ainda estava em Portugal:)

sábado, 10 de janeiro de 2009

De volta à minha Bologna :)

A decisão de última hora de voltar com a Kalen. Dormir no aeroporto? Pedir abrigo a alguém? Avião. Ouvidos entupidos. Que desentupiram. Malas no corredor, deixa passar a minha que não a vi. Shuttle cheio de portugueses, pensamentos, demorar a sair porque o senhor do lado gosta de levar o seu tempo. Tanta neve em Milão, tanta neve. Kalen pega nas malas, nos meus trinta mil sacos. Esta mala é tua? Deve ser, vamos. Procurar o 727, é do outro lado, do outro lado da estrada das camionetas. Perguntar a um rapaz que cai no gelo se sabe da paragem. Faz-nos esperar e corre e manda parar todos os carros, táxis, bicicletas para nos saber a informação. Não é possível, é do outro lado da estação. Telefonema de um número desconhecido. I'm sorry, but you took my suitcase. Voltar ao ponto de partida, enganar-me no senhor da mala e querer trocá-la com quem tinha a sua. Pobre rapaz. Damos a volta. Milão assusta à noite. O 727 teima em não aparecer. Se não o encontrar, como um hamburguer a 0,50€ e apanhamos um táxi, diz a Kalen. Mando parar eléctricos e pergunto, ninguém sabe nada. Kalen para um lado, eu para o outro. Chega a polícia, pergunta se falo italiano e se preciso de ajuda. Deixo-os a meio da frase e corremos para o esperançado 727. Via della Parca, vai para lá? Onde, isso não existe. Sarca, sarca. Vamos lá, é o 73. A Maria aparece, que frio que estava. Espera-nos o Batman e gente simpática. Roubamos cereais e o leite alheio. Acordamos passado 6 horas. Queremos Bologna.

Bologna recebeu-me com sol. Recebeu-me com pouco frio, com telefonemas e mensagens. O Pier estava em casa. O Nuno apareceu. Que bom que é! Chegou o Andrea, a Giada ligou-me. Tinha mais saudades do que julgava. A Verinha veio cá! Esta é tanto a minha casa! As malas e os sacos já estão desfeitos, a roupa arrumada, trouxe tanta, demais. Estou sem comida nenhuma. Mas já tenho o quarto varrido e sem cotão. Tenho um banho para tomar, uma despedida prometida, uns pastéis de Belém em cima da mesa, e um passeio de bici ansiado.

Vou reviver a minha Bologna. Até já! :)

P.S.

Descubro-te em todo o lado. Cada esquina e cada traço desta cidade têm um toque teu. Uma memória, um carinho deitado no lixo. Passeio e sei-te de cor. Sei a tua cor e sei o teu olhar. Espezinho o caminho partilhado, não será mais. Deito fora, aos poucos, a tua existência. Não sei quem serias mais, mas sei bem que não te quero. Revelas-te nas últimas roupas usadas, em desarrumações esquecidas. Lavo-as todas, tornarão sem ti. Fecho os olhos com muita força. Afasto pensamentos, ignoro palavras ocas. Sou eu que interesso. E não o esquecerei.

your hair is everywhere...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Un bellissimo viaggio :)


A Kalen veio cá passar uns dias, o que deu para fazer umas belas viagens.

Como a Martinha diz, são as experiências humanas o maior ganho de Erasmus. Não podia concordar mais. As pessoas que ficam, ficam de verdade. Partilha-se cama, comida e roupa lavada, partilham-se risos, conversas, abraços, apoios, conversas, passeios, descobertas.

O Manel continua a ser o grande amigo que se tornou desde que apareceu há 17 anos. A Martinha a ser uma das M's que me conhece a priori, sem ela Erasmus não teria tanto sentido. A Ana foi das melhores descobertas, meiga, calma, consciente, tão tão amiga. A Kalen é a minha Kalen!

As pessoas fazem vidas. O meu país ganha magia ao ser palpeado com elas. Cada recanto acompanhado de uma conversa. De uma confidência. Porto. Viana. Braga. Memórias, ficam e vêm. E vêem-se.

O Porto e o reencontro e o cansaço da Kalen. A Ribeira, as ruas e a Livraria Lello. As francesinhas e o fado. O rio, a ponte e Gaia e também os rabelos, os parquímetros, Rua de Sta Catarina, o Majestic.





Braga e o mimo da Ana. As rotundas, a UM, a casa tão gira, o Jim. A lareira, a comida, a conversa, que bom abraçar-te de novo e saber que estás comigo. O chá e os chocolates.

Viana e o casaco laranja da Martinha ao longe. Aproximou-se. É bom estarmos as 3, as 4 juntas e ter o Manel como óptima companhia. Santa Luzia, o centro da cidade, o Natário.Vamos a Fif, ah não, a Afife. A praia e o frio, a discoteca transformada em café, o jantar tão bem improvisado, o quarto da Marta que é tanto o quarto da Marta, a conversa até tarde.



Braga de novo, os voos confusos e os desabafos em italiano. Acordar cedo, dormir pouco, temos a bela Braga tão ansiada para visitar. Voltinha pelo centro, a Sé. O impressionamentemente belo Bom Jesus, lembranças, deitar fora pensamentos, passear com calma, mas com pressa. A gruta pequenina e apaixonante. Depois do Bom Jesus, o Sameiro, mais calmo, com um coro artificial, espaçoso.






Despedidas. Hora de voltar. O Chilli's!

Foi bom demais. Bom demais:)

Lisboa recebeu-nos também de braços abertos. A Rua do Ouro, o Terreiro do Paço, o Cais das Colunas, o elevador de Sta Justa, a Trindade, o Carmo. O famoso 28, a Graça e o Castelo. Almoço com frio, mas com muita conversa, Rossio, Restauradores, Praça da Figueira. O fado, as compras de última hora. O metro, conversa, confidências.










Amizade. Existe mesmo :)

Gosto de vocês :)

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

2009.

live laugh love !