terça-feira, 31 de março de 2009

Ode

Ode à belkin54g

Adoro-te belkin
Só me trazes alegria
Pago balúrdios pela Fastweb
Que é uma grande porcaria.

És sempre vista como 2ª opção
Mas tens muito potencial
Viva a tua conecção
Bem melhor que a concorrencial.

E a minha vida cinerbética?
Sem ti não existia
Felizmente zelas por ela
Oh meu Deus, sem ti o que seria!

Por favor não te vás embora
A Fastweb aos poucos desaparecerá
Desconectar-se a cada meia hora?
Não, assim não dá!

Fica, fica para sempre
Tens em mim uma apoiante
Com toda a minha promoção
Pian piano, serás gigante!

Percebe-se que andei a estudar. Com posts idiotas como os últimos, vê-se que as últimas duas semanas foram sofredoras. Para além de que perdi toda a minha capacidade social, excepto com o círculo familiar cá de casa e com a Marta. O que será de mim? Ainda para mais chove e não apetece sair.

Ontem estava no Empire com os brasileiros e ligou-me a Emilie (belga que fez Erasmus cá no primeiro semestre): "Marta, onde estás? Vou ter contigo daqui a 10 minutos!". E veio! Apareceu aqui, na mesma rua onde me tinha despedido dela há cerca de 2 meses atrás. Tinha saudades da energia dela, da inconveniência genial, da rapidez com que fala, dos disparates que diz. Fomos a casa do James, apareceu a Martinha, bebemos Fruttato e fomos embora. Quando me voltei a despedir, disse-me as coisas mais amorosas do mundo:) É através destas coisinhas que sinto que algumas pessoas estrangeiras ficarão mesmo! :)

Ah, quanto ao exame, era escrito, mas correu benzinho. Saberei a nota depois da semana da Páscoa.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Há os discos pedidos e há as respostas pedidas

Eu estou cá para tudo! Menos para os discos.

Portanto...

Cara leitora,

1) Quanto ao dinheiro, é ter esperança.
2) Quanto à relação, é acreditar.
3) Quanto a isso, nada a fazer.
4) Quanto ao exame, acho que não é estudar.

Espero ter ajudado e volte sempre.

fritanço pré-exame

Não há low-esami?

Chove a garrafões de 5 litros.

A cavallo no teatro e na pintura. Cavallone = vagalhão

Sou uma tábua rasa e os conhecimentos não se imprimem nela.

Hoje decidiram roubar-nos uma hora de vida.

Esferas? Somos cilindros! E os brunch americanos ajudam. E os desejos de batatas fritas de cadeias internacionais desafiam.

A lâmpada ficou azul fez tlim e explodiu.

Segundo a genialidade do Konrad, there's Shitday, Freebeerday, Hobbyoneday, Milleniumday, Freeeeeday!!

- Tutti i giorni divento più sicura che c'è tanta roba inutile e non interessante in facoltà che sarebbe meglio imparare tutto vivendo e conoscendo le persone e viaggiando. Però so che questa è una visione un po' idealista della vita. Anche perché il mondo e la conoscenza stanno evolvendo e non avremmo tempo sufficiente per imparare tanta cosa. Non lo so...

- Ah ma non esiste un modo che ti permetta di venire in possesso di tutta la conoscenza. "il vero sapiente è colui che sa di non sapere' (socrate) proprio perché è da stolti pensar di arrivare a conoscere tutto.

Gosto de ter amigos italianos interessantes, que me respondem bem às mensagens com os meus dilemas pré-examicos. O problema é que ele sabe do meu blog e portanto não posso escrever as mensagens completas, porque parece mal, mas tinha um shot magnificamente inteligente no fim. Bolas, que a Internet é de livre acesso, demais.

Enfim. Vou dormir. Exame amanhã às 11h. Nunca li tantos livros para um exame, nunca fiz tantos apontamentos. E o engraçado: nem sequer deu para ler todos. E o mais engraçado ainda: não me inscrevi no exame, porque já tinham passado duas horas do prazo 6 dias antes do dia do exame! Viva a bella Italia e as suas burocracias! Ao menos o exame é escrito, sei que não ficarei 7 horas à espera para depois não mo deixarem fazer, porque tinham de fazer perguntas específicas e era melhor eu voltar em Maio.

Acho que não me deixam acabar o curso este ano. (mensagem-choque, família. mas não é verdade.)

Enfim. Conclusão básica da Comunicazione del Rischio: não correr riscos. Mas cá para mim vale a pena:)


P.S.: A palavra garrafões devia ter dois F's.
P.P.S.: O Manel ama Popias. Popias. Pôpias. Popas Amarelo.
P.P.P.S.: (sim, gosto do facto dos inúmeros P's) Mas olhem olhem, recorde: (7 pessoas ao mesmo tempo - espero que seja erro, assusta-me um bocado. Admirem ao menos a bela qualidade da imagem.)


P.P.P.P.S.: WOOOW! 9?!


P.P.P.P.P.S.: Para mim um gambuzino é um peixe. Ou então um réptil. Depende dos dias.

P.P.P.P.P.P.S.: Os australianos decidiram adiar a mudança da hora por uma semana.

sábado, 28 de março de 2009

nota mental

Odeio capítulos grandes.

" Si osserva gli osservatori mentre costruiscono la realtà e di colpo si capisce che il mondo non è un oggetto che ci sta davanti ma un orizzonte inavvicinabile che non lascia altra via d'uscita se non di costruire la realtà. "

sexta-feira, 27 de março de 2009

Il mio cavallo ha problemi di personalità

Levar o computar a arranjar.
Pagar 22 euros por um livro de 150 páginas.
Estudar.
Aula de 3 horas com as melhores poltronas onde se consegue adormecer um bocadinho.
Estudar.
Aperitivo no MAMBO.
Casa da Marta.
Jogo das frases-desenhos.
My horse has personality problems.
Millenium.
Estudar.
My horse has personality problems.

P.S.:
Tínhamos um bocadiiiiiinho de loiça acumulada. Decidi lavar e percebi que, para além da normal quantidade de 20 copos normais, temos 14 chávenas de café!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

...invention is mostly this subtle, inevitable thing...I mean it comes from your nature, your identity. We've all got an identity. You can't avoid it. It's what's left when you take everything else away. I think the most beautiful inventions are the ones you don't think of. - Diane Arbus


Ottocento. Novecento. Immagine infidele. Digitale.

checked. checked mais-ou-menos. ho un'idea generale, dai.

Geral. Digital. Uma ova. Em Maio.

domingo, 22 de março de 2009

Cena tedesca

Conforme prometido, o Konrad preparou-me um jantar alemão. Fui conhecer a casa dele, o terraço, o quarto de peça única, a cozinha onde passámos horas e horas.

Cheguei por volta das 20h com uma boa garrafa de vinho. Levei a vontade de cozinhar e de aprender e já lá me esperavam os ingredientes. Pensei que seria algo complicado, muitos fritos ou demasiado condimentado. Na verdade, era muito simples.

Fui eu que tratei do Spätzle. Durante 20 minutos, misturei ovos com farinha até ficar com a consistência certa. Enquanto isso, o Konrad tratava da carne, dos cogumelos, das mini-cebolas. A conversa fluia sem pensar.

Por essa algura, já se falava de Erasmus, de futuro, das famílias, de futebol, de sonhos e medos.

Era hora de cozinha propriamente. Em 5/10 minutos estava pronto:

Schweinelendchen mit Spätzle !

Bife de vaca com Spätzle. Leve, saboroso. Abriu-se a garrafa de vinho e cairam pedacinhos de rolha para os copos. Escolhi o copo das Winx: em Erasmus a diversidade de copos é imensa e dá para variar bastaste.

A conversa desenvolvia-se. Política, Nazismo, educação, 25 de Abril, anti-semitismo, religião, catolicismo, islamismo, gerações, a dos nossos pais, a nossa, a passividade, o porquê, as tecnologias, Polónia, os diversos nomes para a Alemanha, História, ética, auto-conhecimento, línguas, rolhas chocadas.

O vinho que chegou ao fim.

Conversa continua, olhos pesam. Decidimos fazer chá, esperar que a chaleira assobiasse, mesmo que depois tivessemos de esperar mais tempo para o chá arrefecer. Roubei Muesli de chocolate. Era meia-noite, a Martinha ligou com boas notícias da dança: 3º lugar:)

Fomos finalmente ver o filme prometido: The Big Lebowski. Rimo-nos com a ironia, com o facto de o homem que parecia menos normal ser, afinal de contas, o mais normal no meio de gente passada. O cansaço já era muito para discutir. Eram 3h da manhã, hora de ir para casa.


Às vezes ponho-me a pensar... O James e o Konrad são os meus melhores amigos rapazes aqui. Quando falo com o Konrad, fico com vontade de ler mais, de estudar, de ser mais académica, mais culta em dados, em factos, em ideias. Quando falo com o James, vem-me a vontade de aprender através de outros meios, metafísica, contacto, paranormal, pessoas enquanto seres, enquanto poços de descoberta. E não sei para que lado me virar.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Did You Know?

Desculpem, mas percam 5 minutos das vossas vidinhas para verem isto:

quarta-feira, 18 de março de 2009

St. Patrick's Day

Ontem foi St. Patrick's Day.

Foi um dia maravilhoso de jardim. Fui com a Kalen, o Pier e o Andrea! Os rapazes velhos cá da casa foram connosco e foi bem divertido:) Já estava lá a Carolyn à nossa espera.

Estudei pouco. Apareceu-me a Martinha com o seu stylish new haircut e pouco depois viemos para casa. Depois da minha sesta habitual (parece que tenho 6 anos), foi altura de mais uma saidinha com os da casa.

Os rapazes levaram-me a mim e à Kalen a um aperitivo. Rimo-nos muito, percebi que gostam mesmo de mim, das minhas cores, de gozar comigo. Sentimo-nos mesmo bem juntos. Depois de um barzinho, passámos para outro. Jogámos snooker e tudo: eu e o Andrea ganhámos! :D

Mas sendo St. Patrick's Day, tinha de ser celebrado como deve ser. Roubei a Kalen, convidei o Konrad e juntámo-nos a 3 italianos que me tinham convidado para ir ao Estragon festejar. Fomos de autocarro.

Esperavam-nos 2 concertos de música folk irlandesa. No início parecia irish punk, mas rapidamente se tornou mesmo divertido e passei 2 horas no moche. Hoje dói-me tudo: pernas, braços, tenho galos na cabeça, as costas pedem descanso.

Mas valeu a pena. Mesmo o facto de termos demorado cerca de 2 horas a voltar a pé da festa. Mas o tempo dá para conversas e conhecer melhor as pessoas.

E o mais importante do dia foi: a notícia que o meu computador estaria pronto esta manhã. E já está:) Pela primeira vez neste último mês, tenho acentos, tenho o meu computador pequenino e levezinho, tenho as minhas coisas. Yey:) Apesar de ter o Windows em italiano :o

Hoje vou dispensar o Giardini onde mal estudo e vou para um cafézinho com a Marta para nos agarrarmos aos livros.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Do frogs say "rabbit" or "ribbit"

Durante esses dias a Marta estava sobretudo estudando, mas o tempo mudou para melhor...isto é o inverno foi muito frio com chuva e neve nojentas, e ela quase não podia continuar a vida assim. MAS, ha uma semana o ar da primavera e o seu sol belissimo mataram todas as tristezas e dores do vento e das nuvens. Todas as pessoas que primeiro usaram os roupas pretas (ou uma outra cor escura e tragica) e que andavam so sob os porticos como uma tapete rolante preto e macio, agora estão nos jardins de margherida como uma massa movel grande e colorida. As pessoas usam as camisas vermelhas amarelas verdes azuis e rosas em vez dos casacos longos, e cada pessoa faz um movimento. Saltam, cantam, fazem malabarismo, jogam futebol, jogam com um frisbee, brincam, tocam musica, usam coisas do circo, andam, correm, sentam-se, pintam...E a Marta faz estas coisas tambem. Hoje foi ao parco com Kalen, e todo o mundo veio...esse blog foi feito pelo James, e este teclado não tem acentos....

Uma foto de Hippies


Beautiful


Um telefonema muito legal...



Nutella

Singin'

A bird


Ate ja!


---

A minha versão do dia:

Bologna acorda diferente estas semanas. O sol, o bom tempo, a luz, a boa disposição roubaram o lugar à chuva e à depressão e tudo se desenha mais feliz. O Giardini torna-se passagem recorrente e deitar na relva renasce o espírito.

Este foi mais um dia desses. Pegámos na mantinha e fui eu e a Kalen para o Giardini, cedo. Eu estudava, ela lia e tocava guitarra. Optei por não mandar mensagens, porque precisava mesmo de estudar. Mas avisei a Emma e a Carolyn à mesma. A Carolyn apareceu pouco depois. Tocou, cantou com a Kalen, tentámos as duas melhorar o nosso malabarismo. Fizemos exercícios de yoga, fizemos rodas e outras coisas que tais. E chegou o James.

A Carolyn foi embora e pouco depois chegou a Kat, a companheira musical da Kalen. Mais música, mais conversa, telefonemas importantes. Conversei com o James sobre a vida, sobre o mundo, sobre o sol e meditação. Que bom ter amigos a sério.

Enfim. Mais uma boa tarde. Seguida de um jantar de sopa e salada a 4 e de uma sessão de cinema na minha salinha a ver o Wrestler.

Bologna anda diferente. Anda apaixonante.

And frogs do say "rabbit" in Portugal.

domingo, 15 de março de 2009

Bologna nowadays

No meu telefone italiano tenho 30 números de pessoas que já não estão cá. E 50 números de pessoas que cá estão. Estes vão aumentando. E como a Teresa me disse, não faz sentido apagar números, porque fazem todos parte do meu Erasmus.

Mas de facto tenho amigos cá. Fui estudar para o Giardini com a Giada e a Kalen. Mandei umas mensagens e passado pouco tempo estava rodeada de italianos, espanhóis, americanos. Depois, vieram cá para casa com um gelado na mão, quando ficou frio para estar na rua.

Emma, Carolyn, Andrea, Marco, Kalen. Uma guitarra. 3 bolas de malabarismo. Boas conversas.

A vida faz-me bem:)

sábado, 14 de março de 2009

Auguri Verde

A Martinha fez anos e o Nuno veio cá fazer surpresa antes de ir para a Austrália. A nossa menina foi muito mimada, teve direito a uma prenda com pistas, a uns sapatos de dança oferecidos por todos e um M oferecido por mim!

A festa de anos, como não podia deixar de ser, foi temática: Auguri Verde. Ou seja, cada um teria de ir de verde ou interpretar qualquer coisa relacionada com o verde. Poucos alinharam realmente realmente, mas ao menos parece que toda a gente se esforçou para levar uma peça de roupa verdinha, para estar dentro do espírito.

A Martinha interpretou um poema do Eugénio de Andrade. Eu decidi ser parva... e daltónica:

A festa começou estranha, a dinâmica anda toda um pouco diferente, mas acabou por ser muito divertida. É engraçado ver como os acessórios vão sendo partilhados ao longo da noite e a festa se prolonga até às 5h da manhã.

James (USA), io, Martinha

Giada, io, Konrad (GER)

io e Giada

James, io, Nuno

M's! :)


Francesco (IT), io

io, Andrea (IT)

Nuno, io

Nicolo' (IT)

Lidia, Lachie (Scotland)
Carlos (ES), Pedro, io, Marta (ES), Marta
Gonzalo (ES)

io, Emma (USA)





Foi um belo dia teu!*


quarta-feira, 11 de março de 2009

James


Allora..

James è geloso perché ho fatto un post di Konrad e non ho mai fatto nessuno di lui. Sooo, here it is, caro James, con tutte le lingue che parliamo, como vc pode ver.

A verdade é que já falei dele aqui, logo no iniciozinho, quando o conheci no Giardini, enquanto amigo da Kalen. Però lui non si ricorda.

Agora o James tornou-se um grande amigo. Está tantas vezes connosco, conhece os meus problemas e partilha os melhores risos. Telefona-me e diz sempre "Marrta Trindadxi", mistura 3 línguas e fala muito depressa.

Dança, canta, gosta de cinema, gosta de actividade, é divertido, mascarou-se de homem a cavalo no Carnaval, é sempre diferente. É diferente mesmo. É, sem dúvida, uma pessoa especial. Em todos os sentidos. Das que vale mais do que a pena:)

Ti voglio bene, dai! :)

Konrad

(O Konrad fez-me pensar na vida e por isso merece um post)

Ontem apercebi-me que o Konrad (alemão) é das pessoas mais cultas e interessantes que conheço. Já faz parte do meu Erasmus há uns tempos, por intermédio dos músicos da Lame. No entanto, só na Laurea do Nuno é que falei com ele e me apercebi do seu humor negro e da sua tão típica maneira de ser. Nas festas ou serate passei a estar à vontade. Criávamos vidas paralelas.

Ontem convidei-o para vir a uma festa de espanhóis connosco. A festa não era nada de especial e escapámos meia hora depois. Após deixarmos a Martita pero de casa, ainda tivemos mais uma hora a falar.

Senti-me pequenina ao ouvi-lo falar de Filosofia e História, ao vê-lo escrever grego para me provar que não me estava a enganar, ao entender que a cultura dele é impressionante. Dei por mim a rebuscar conhecimentos que tinha cá nos confins.

Discutimos teorias políticas e da comunicação e decidimos fazer um filme com mensagens subliminares.

Entendi que não posso culpar o meu curso de não me ensinar nada, talvez apenas de me levar à preguiça, porque na verdade passou-me muita coisa pela frente e só não sou mais culta, porque não tenho querido.

É mais um dos meus objectivos: ler mais, saber mais. Discutir mais.

terça-feira, 10 de março de 2009

(A página)

(
A força veio para ficar. Imprimiu-se como segura. No entanto, às vezes escorrega. Por vezes, ameaça. E faz-me pensar que as memórias são o que nos faz mal. Quando na verdade, são das melhores coisas que temos.

Gosto das minhas mudanças de Erasmus, do novo desafio, de ter de respirar fundo e ir ao desconhecido. Desconhecido conhecido, no meu canto, no meu lugar. Isto é meu. Mas mudou-se. Gosto. Apesar de, quando menos espero, o peito se apertar um bocadinho e querer a Bologna invernal, do meu grupinho genuíno e seguro.

Virar a página não é esquecer. Não é substituir. É guardar o melhor. Ouvir zum-zuns, mas não tentar saber, para se ficar com o melhor, a melhor imagem, o maior carinho. Virar a página é deixar doer, não fingir que não, reflectir e depois adormecer. Calma. Finalmente.

Virar a página é ter-vos comigo. Já arrumadinhos em mim. É não deixar nunca de sentir a falta, mas saber viver à mesma na vossa ausência.

Virar a página é o recomeço neste campo de batalha, de conquistas, de lutas. É gostar das diferenças e acalmar o coração.

Virar a página é ter-vos sem vos ter.
É ter-me em vocês.
É ter-me em mim.
Ser eu. Sempre.
)

segunda-feira, 9 de março de 2009

Brasileiradas

A família foi embora e a tarde revelou-se logo animada e cheia de planos. Depois de pôr o sono em dia, correr para imprimir os bilhetes para Estocolmo, encontrámo-nos com os brasileiros e apanhámos o 19 rumo a casa do Thiago, para o churrasco de anos dele.

Só brasileiros, portugueses e um italiano.

Dejà-vu a toda a hora. Foi com estas pessoas que comecei Erasmus, sabe bem dar-me com elas de novo. Mas não deixa de soar a dejà-vu, a início, a recomeço, a redescoberta. São pessoas fantásticas, tinha saudades.

Saudades das pessoas e saudades deste sentimento de insegurança e desconhecimento em relação ao que os planos levam, ao que surgirá das tardes, das noites. Ao que as conversas levam, ao do que se fala, o que se dança, o que se partilha e redescobre.

Gostei mesmo.




---
Estocolmo ficou adiado. A vontade das 3 (eu, Martinha, Kalen) era pouca. Mas às 2.30 da manhã decidimos ir, especialmente porque a Marta queria muito. às 4.30 acordámos, a Marta telefonou. Não consigo, não consigo, não conseguimos. E decidimos ficar e aproveitar o sol. Vira-se a página cá, aqui, juntas.

sábado, 7 de março de 2009

Família


A família veio cá visitar:)

Passeámos, rimos, falámos, comemos bem. Andámos muito. Conheceram a minha cidade e entenderam porque é que me apaixonei por ela.

Soube bem mostrá-la, andar kms, contar histórias, ir ao Giardini, à Montagnola, à Osteria de sempre, ao 15 que só dá para ir com os pais, ao restaurante familiar ao pé da estação que nos salvou de uma intoxicação alimentar russa. Soube bem dormir com a mana ao lado e adormecer a ouvi-la falar. Soube bem fazer a Castiglione 50 mil vezes, ir mostrar a Zamboni nocturna cheia de gente e fugir da multidão da Independenza que fazia lembrar Nova Deli. Até o Beppi Maniglia estava cá este fim-de-semana.

Soube bem ir aos gelados da Gianni e da Castiglione. Ir às ruas dos mercados, à Piazza Maggiore, a Sto Stefano e à Picola Venezia. Soube bem passear, estar em família, a verdadeira família.

Porque família é família :) E em família sabe tudo bem:)

quinta-feira, 5 de março de 2009

Uma verdadeira era

Tempo.

Tempo. Tempo.

Tempo. Tempo. Tempo.

Demorou tempo a criar, a assegurar, a certificar, a ser óbvio, a ser segurança, certeza. A ser vida. A ser família.

Demorou tempo, mas foi tão rapido, tão certeiro, tão certo. Tão óbvio!



Agora o tempo roubou-nos o nosso tempo.

Agora o tempo, o nosso tempo chegou ao fim.

Foram, fomos os melhores :) Os únicos, os amigos verdadeiros, a família. O choro e as gargalhadas, as bebedeiras e as sobriedades, as conversas e as estupidezes, os beijinhos e os abraços, os pijamas e os vestidos, as ramelas e a maquilhagem, as viagens e as nossas casas, os telefonemas as mensagens e as campaínhas. Fomos tudo, todos, a toda a hora, vivemos juntos, sempre juntos.

Tudo. Somos tudo.

And we will always have Bologna ! :)








M: ! *

terça-feira, 3 de março de 2009

Foi dia de festinha de despedida da Ana e do Pedro. Calma, tranquila, com muitas emoções, abraços e Até já's.

O comboio do Pedro esperava por ele de madrugada. Fizemos-lhe companhia até bem depois do sol nascer. Foi noite de Free Hugs em ruas desertas, de tranquilidade, sorrisos, últimos croissants de Nutella na Borgonuovo e um dejà-vu a caminho da estação. Um chão, uma última conversa e um comboio que chegou.

Free hugs são abraços para sempre:)

video

segunda-feira, 2 de março de 2009

Firenze

Fomos a Firenze, enquanto última viagem do Pedro e da Ana como Erasmus. O sono, o cansaço e o tempo chuvoso que ameaça voltar não ajudaram nem permitiram boas fotos, mas foi um bom dia.

Revi o interrail a cada passo que dava, relembrava-me de histórias e até de conversas a cada esquina. Gosto de vocês, meninas.

E gosto dos meus Erasmus que decidiram abandonar-me quase todos!

Hoje é festa de despedida da Ana e do Pedro, que vão embora hoje e amanhã. Depois chega a família:))